sexta-feira, 28 de setembro de 2012

YES, I DO!!!



Após dias sumido, cá estou, de volta!!! Mas tudo por uma boa causa, casamento do meu irmão, recepcionando amigos e familiares de outras cidades... Mas passado o grande evento, não posso deixar abandonado esse humilde blog!!!

E como não tive tempo para mais nada, por que não aproveitar esse evento para falar sobre filmes que falam sobre casamentos???

Aqui vai uma listinha de alguns filmes sobre casamentos... e como nenhuma lista nunca agrada a todos, sei que muitos serão contra alguns filmes, mas... o blog é meu e a lista é minha, certo?! rsrsrs...

Mas na verdade, analisando um pouco melhor MUITOS filmes sobre o tema, cheguei a conclusão que não tivemos nenhum filme extraordinário do gênero!!! Pelo menos consegui reunir alguns filmes com estilos diferentes...







O Pai da Noiva (1950/1991)



Na versão clássica de 1950 de Vincent Minnelli, Spencer Tracy é o pai coruja de Elizabeth Taylor, de 18 anos, que anuncia que irá se casar. agora ele terá que lidar com seu ciúme e com os altos custos e dores de cabeça da cerimônia. teve uma ótima refilmagem em 1991 com Steve Martin como o pai)





Quatro Casamentos e Um Funeral (1994)



Hugh Grant é um inglês, solteirão convicto, que conhece uma mulher americana - Andie McDowell - num casamento no qual ele era padrinho e acaba se envolvendo. eles irão se encontrar em outras cerimônias até definir sua situação.






O Casamento do Meu Melhor Amigo (1997)


Julia Roberts é uma jovem que combinou com seu melhor amigo, que se ambos completassem 28 anos solteiros, se casariam. às vésperas do aniversário, ela recebe o convite do casamento dele e percebe que sempre foi apaixonada por ele. convidada para ser madrinha pela noiva - Cameron Diaz -, ela aceita, pensando em atrapalhar o casamento. ótima comédia, com timing perfeito e destaque para Rupert Everett, como o amigo gay dela.






Se Beber Não Case (2009)


Doug Billings (Justin Bartha) está prestes a se casar. Stu Price (Ed Helms), um dentista que planeja pedir a namorada em casamento, Phil Wenneck (Bradley Cooper), um professor colegial entediado com o matrimônio, e Alan Garner (Zach Galifianakis), seu futuro cunhado, são seus melhores amigos. O trio organiza uma festa de despedida de solteiro para Doug, levando-o para Las Vegas. Lá eles alugam uma suíte e têm uma noite de grande badalação. Na manhã seguinte os três acordam sem ter a menor idéia do que aconteceu na noite anterior. Eles sabem apenas que Stu perdeu um dente, há um tigre no banheiro, um bebê no closet e Doug simplesmente desapareceu. Para descobrir o que ocorreu, eles tentam juntar as memórias e reconstituir os eventos do dia anterior. 






Depois do Casamento (2006) 



Jacob Petersen (Mads Mikkelsen) luta para manter em funcionamento um orfanato, localizado numa das regiões mais pobres da Índia. A instituição corre o risco de fechar, até que Jacob é chamado de volta à Dinamarca para falar com um rico empresário, que deseja fazer uma doação para o local. Enquanto isso, em Copenhagen, Jorgen (Rolf Lassgard) vive uma vida feliz com sua esposa e filhos. Rolf é um perspicaz homem de negócios e um pai devotado, mas que às vezes comete indelicadezas quando o assunto envolve questões de família. Isto acontece quando Jorgen falta ao encontro que havia marcado com Jacob, para poder discutir detalhes do casamento de sua filha. Jacob, pressionado pela situação financeira do orfanato, quer resolver a questão da doação o quanto antes, mas Jorgen prefere deixar tudo para depois do casamento. 






O Filho da Noiva (2011) 



Aos 42 anos Rafael Belvedere (Ricardo Darín) está em crise, pois assumiu muitas responsabilidades e não tem mais tempo para qualquer tipo de diversão. Boa parte de seu tempo é gasto no gerenciamento do restaurante fundado por seu pai, no qual até tem um relativo sucesso, mas sem nunca conseguir escapar da sombra de seu pai. Rafael raramente visita sua mãe, Norma (Norma Aleandro), que está perdendo a memória, pois ela sempre implica com suas acompanhantes. Sua ex-esposa o acusa de não dar a devida atenção ao filho e ainda há Naty (Natalia Verbeke), atual namorada de Rafael, que sempre lhe exige atenção e comprometimento. Em meio a todas estas responsabilidades Rafael sofre um ataque cardíaco, que faz com que se encontre novamente com Juan Carlos (Eduardo Blanco), um amigo de infância, que o ajuda a reconstruir seu passado e ver o presente com outros olhos. 






Noivas em Guerra (2009)




Emma (Anne Hathaway) e Liv (Kate Hudson) são amigas desde criança, quando planejaram em detalhes como seriam seus casamentos. Um deles é importantíssimo: que a cerimônia ocorra no Hotel Plaza, o local onde os mais badalados casamentos de Nova York ocorrem. Agora, aos 26 anos, elas estão prestes a se casar. Mas um erro na marcação das datas faz com que elas coincidam, o que gera uma disputa entre as agora ex-amigas por quem fará a cerimônia no local sonhado.







Missão Madrinha de Casamento (2011)



Lillian (Maya Rudolph) vai se casar e convida a amiga Annie (Kristen Wiig) para ser sua madrinha. Ela, que enfrenta problemas profissionais e amorosos, resolve se dedicar à função de corpo e alma. Só que, logo no primeiro evento organizado, Annie conhece Helen (Rose Byrne), uma bela e rica mulher que quer ser a nova melhor amiga de Lillian. As duas logo passam a disputar a proximidade da amiga, assim como o posto de organizadora do casamento e demais eventos pré-nupciais. 






quinta-feira, 13 de setembro de 2012

TIM, O ESQUISITO!!!


Ano de 2012, temos dois filmes recém lançados... Possuindo algo em comum. Sombras da Noite e Abrahm Lincoln: Caçador de Vampiros. O mesmo personagem teve participação nos dois filmes. Sendo diretor no primeiro (que por sinal muito fraco o filme) e produtor na história de Lincoln (um outro lado de sua história).

Claro que estamos falando de TIM BURTON!!!









Já chamado de ousado, original, sombrio, inovador,... Mas na verdade, conhecido mesmo como ESQUISITO!


Com toda essa fama, seu talento vai além...


Vamos à sua apresentação...

Seu nome é Timothy William Burton, cineasta americano, nascido em Burbank, no dia 25 de Agosto de 1958. Frequentemente, seus filmes acompanham os atores Johnny Depp e Helena Bonham Carter, com quem mantém um relacionamento sério desde 2001 e tem dois filhos, e Danny Elfman compondo a trilha sonora. Amante dos grandes nomes dos filmes de terror, já realizou projetos sobre Ed Wood e chamou para estrelar seus trabalhos, os notórios atores Vincent Price e Christopher Lee.

Burton descreveu sua infância como peculiar, imaginativa e perdida em seus próprios pensamentos. Ele achava a vida doméstica e a escola difícil, participava de um grupo chamado OW SHIT STUDIOS (O.S.S) e fugia da realidade do cotidiano lendo livros sombrios de Edgar Allan Poe e assistindo a filmes de terror de baixo-orçamento, que mais tarde homenagearia na sua biografia de Edward D. Wood, Jr.. Outra figura cinematográfica de importância na infância de Burton é Vincent Price, cuja filmografia influenciaria a carreira do diretor.







O seu apego ao horror com sua habilidade para a comédia Burton foi conciliada em Os Fantasmas se Divertem (Beetlejuice, 1988). Foi com esse filme que o diretor finalmente se destacou e foi chamado para realizar uma superprodução: Batman, em 1989, que mais tarde teria a continuação Batman - O Retorno, também com a direção de Tim Burton. Com a carreira em alta, o diretor resolveu filmar seu projeto pessoal intitulado Edward Mãos de Tesoura, sobre um rapaz que tem tesouras no lugar das mãos. Para o projeto, Tim Burton chamou, pra variar, o ator Johnny Depp, que a partir daí, viria a colaborar mais 7 vezes (até 2012) no filmes do diretor. 4 anos depois, o ator foi convidado para protagonizar a cinebiografia de Ed Wood (Ganhou dois Oscars: Melhor Ator Coadjuvante (Martin Landau) e Melhor Maquiagem), considerado tendenciosamente como o pior diretor de todos os tempos. Em 1996, estreou nos cinemas Marte Ataca! que é uma verdadeira carta de amor aos filmes "B" de ficção científica dos anos 50. Em 1999 chega aos cinemas a adaptação da conhecida história A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça.


Além de um talentoso diretor/produtor, possui outras atividades, como ator e escritor. Atuou recentemente em Homens de Preto 3 (2012). E em 1997, escreveu "O Triste Fim do Pequeno Menino Ostra e Outras Histórias", que ganhou edição brasileira apenas em julho de 2007.
Apesar de ser infantil, o livro tem cenas de violência familiar, suicídio, sexo não-explícito e traição extraconjugal (o amante da adúltera é um ferro de engomar). Também não cabe aos poemas, finais felizes.


Seus atores favoritos, que costumam participar de seus filmes:

Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Christopher Lee, Jeffrey Jones e Michael Keaton.













segunda-feira, 3 de setembro de 2012

LUTO CINEMATOGRÁFICO









Recebemos uma triste notícia nessa segunda-feira (03). Michael Clarke Duncan, nascido em Chicago, no dia 10 de Dezembro de 1957, o eterno gigante de À Espera de um Milagre, faleceu precocemente aos seus 54 anos em Los Angeles.

A notícia foi manchete de vários sites pelo mundo, principalmente Brasil e Estados Unidos.

MAIS UM ADEUS. O ator Michael Clarke Duncan faleceu hoje aos 54 anos, de acordo com a The Associated Press. Duncan foi internado em 13 de julho deste ano, o ator sofreu uma parada cardíaca, tendo sido reanimado por sua noiva, Omarosa Manigault, e continuou hospitalizado desde então. Na época, o site TMZ observou que o procedimento era surpreendente, dado que Duncan pesava cerca de 150 quilos. A causa da morte ainda não foi revelada. Porém, nesta segunda, o TMZ informou que Duncan morreu "de repente". Citando fontes não identificadas, o site escreve que Omarosa, por alguns instantes, deixou o quarto em que o ator estava internado, em Los Angles. Quando ela retornou ao local, ele já estava morto.


Possuia algumas curiosidades como o fato de ter 1,96 de altura e, claro, ser conhecido como "Big Mike". E o que mais chamava atenção (se é que algo além de sua altura chama mais atenção) era o fato de ser vegetariano, tendo feito uma vídeo-propaganda para a Peta (People for the Ethical Treatment of Animals).




SUA CARREIRA

Duncan, que nasceu em Chicago, no estado de Illinois, começou sua carreira em Hollywood como segurança, trabalhando para atores como Will Smith Martin Lawrence, ele inclusive assinava como "Big Mike Duncan" Seu primeiro papel de destaque foi em Armageddon, em 1998.







A consagração veio com À Espera de Um Milagre. O papel do gigante sensível injustamente condenado à morte rendeu ao ator uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, em 2000.
Em seu currículo, também estão Meu Vizinho Mafioso, Planeta dos Macacos, O Escorpião Rei. Demolidor - O Homem Sem Medo, Sin City - A Cidade do Pecado, A Ilha, entre outros. Seu último trabalho concluído no cinema foi The Challenger, filme do diretor Kent Moran, atualmente em fase de pós-produção.
Dono de uma voz poderosa, o ator também dublou Tug em Irmão Urso, foi o Titã Atlas no famoso jogo God of War II e, em 2011, o alienígena Kilowog de Lanterna Verde.


Uma grande perda não só para o amante da sétima arte, mas para a indústria cinematográfica de um modo geral. Era um ator que além de muito talentoso, chamava atenção por seu caráter e humildade entre seus companheiros.



Mais uma perda em 2012, mais um para a seleta lista que já possuía figuras como Chico Anysio, Whitney Houston, Richard Lynch, Donna Summer,...








quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Centenário de Nelson


Dia 23 de Agosto, data marcante para literatura brasileira, e por que não dizer para a cultura brasileira? Centenário do gênio polêmico Nelson Rodrigues. Os Cinéfilos vêm prestigiar e homenagear essa figura ímpar, com sua história e suas adaptações para o cinema brasileiro!


“Sou um menino que vê o amor pelo buraco da fechadura. Nunca fui outra coisa. Nasci menino, hei de morrer menino. E o buraco da fechadura é, realmente, a minha ótica de ficcionista. Sou (e sempre fui) um anjo pornográfico”



Nelson Falcão Rodrigues




Nascido no Recife, Pernambuco, no dia 23 de Agosto de 1912. Um dos maiores dramaturgos do Brasil. Mudou-se em 1916 para a cidade do Rio de Janeiro. Foi repórter policial durante longos anos, de onde acumulou uma vasta experiência para escrever suas peças a respeito da sociedade. Sua primeira peça foi A Mulher sem Pecado, que lhe deu os primeiros sinais de prestígio dentro do cenário teatral. O sucesso mesmo veio com Vestido de Noiva, que trazia, em matéria de teatro, uma renovação nunca vista nos palcos brasileiros. A consagração se seguiria com vários outros sucessos, transformando-o no grande representante da literatura teatral do seu tempo, apesar de suas peças serem tachadas muitas vezes como obscenas e imorais. 


Em 1962, começou a escrever crônicas esportivas, deixando transparecer toda a sua paixão por futebol. Veio a falecer em 21 de Dezembro de 1980, no Rio de Janeiro.


Um jornalista, teatrólogo, dramaturgo, polêmico das frases impactantes e conhecido muitas vezes por suas obras pornográficas. Mas devido a todo seu talento e sucesso, foi um grande influenciador da produção cultural brasileira, teve várias obras suas adaptadas para teatros, novelas e filmes.






Algumas de suas frases...


"O dinheiro compra até amor sincero."

"Não vou para o inferno, mas não tenho asas."

“O socialismo ficará como um pesadelo humorístico da História."

"Toda mulher gosta de apanhar. Só as neuróticas reagem."

"O marido não deve ser o último a saber. O marido não deve saber nunca."

"Muitas vezes é a falta de caráter que decide uma partida. Não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos."





Dentre tantas obras adaptadas, temos alguns clássicos como Engraçadinha, O Beijo no Asfalto, Bonitinha mas Ordinária e Toda Nudez Será Castigada.




Engraçadinha (1973)



Logo após o enterro de um conceituado cidadão que cometeu suicídio, Arnaldo (José Lewgoy), é questionado qual seria o motivo desta tragédia. Como existia a suspeita que era amante da filha, Engraçadinha (Lucélia Santos), um padre vai conversar com ela. Mas a realidade é que ela tinha se apaixonado por seu primo, Sílvio (Luiz Fernando Guimarães), quando na verdade era seu meio-irmão, fruto de uma relação extra-conjugal. Este fato provocaria vários acontecimentos que destroçariam a família. 





O Beijo no Asfalto (1980)



Um desconhecido é morto ao ser atropelado por um ônibus e, agonizante, pede a um bancário que lhe de um beijo na boca. Este gesto é transformado em escândalo pela imprensa sensacionalista e o homem que cometeu o "crime" de beijar um agonizante passa a ser alvo de preconceito popular e também a ser investigado pela polícia, que começa a supor que o acidente tenha sido um assassinato. 





Bonitinha mas Ordinária ou Otto Lara Rezende (1981)



Edgar (José Wilker) é um jovem bastante humilde, o que volta e meia o deixa constrangido. Um dia ele é procurado por Peixoto (Milton Moraes), genro do milionário Werneck (Carlos Kroeber), que lhe propõe que se case com a filha dele, Maria Cecília (Lucélia Santos), em troca de um polpudo cheque. O dinheiro atrai Edgar, só que ele é apaixonado por Ritinha (Vera Fischer), sua vizinha. 






Toda Nudez Será Castigada (1973)


Versão cinematográfica de uma peça de Nelson Rodrigues, e um dos maiores sucessos de crítica e de público do cinema brasileiro. Arnaldo Jabor mescla melodrama e comédia ao retratar a hipocrisia moral da classe média. O filme gira em torno da família de uma viúvo, que jurou nunca mais se casar, mas que se apaixona por uma prostitua, o que lança seu filho, seus parentes e ele mesmo numa delirante crise de valores.








segunda-feira, 20 de agosto de 2012

VENCEDORES DO FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO





Como prometido, segue abaixo a lista completa dos vencedores do Festival.




TROFÉU OSCARITO - Betty Faria

TROFÉU EDUARDO ABELIN - Arnaldo Jabor

KIKITO DE CRISTAL - Juan Jose Campanella

TROFÉU CIDADE DE GRAMADO - Eva Wilma



Curtas-metragens
 
Melhor desenho de som
Vencedor: Gabriela Bervian / Casa Afogada

Melhor Trilha Musical
Vencedor: Marcos Azambuja / Funeral à Cigana

Melhor Direção de Arte
Vencedor: Iara Noemi e Gilka Vargas / Casa Afogada

Melhor Montagem
Vencedor: Di Melo – O Imorrível / Gustavo Forte Leitão

Melhor Fotografia
Vencedor: Bruno Polidoro / Casa Afogada

Melhor Roteiro
Vencedor: Marcelo Matos de Oliveira / Menino do Cinco

Melhor Atriz
Vencedor: Sabrina Greve / O Duplo

Melhor Ator
Vencedor: Thomas Vinícius de Oliveira e Emanuel de Sena/ Menino do Cinco

Prêmio Especial do Júri
Vencedor: A mão que Afaga / Gabriela Amaral Almeida

Melhor Filme Júri Popular
Vencedor: Menino do Cinco / Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira

Melhor Diretor
Vencedor: Gilson Vargas / Casa Afogada

Melhor Filme
Vencedor: Menino do Cinco / Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira

Prêmio Canal Brasil – Melhor Filme
Vencedor: Menino do Cinco / Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira



Longa-metragem Estrangeiro

Melhor Fotografia
Vencedor: Boris Peters e Larry Peters/ Leontina

Melhor Roteiro
Vencedor: Eduardo del Llano Rodríguez / Vinci

Melhor Ator
Vencedor: Jorge Esmoris / Artigas, la Redota

Menção Especial
Vencedor: Artigas, la Redota / Direção de Arte de Daniel Fernández e Mariana Pereira e Vinci / Trilha Sonora de Ricardo Pérez

Melhor Filme Júri Popular
Vencedor: Artigas, la Redota / César Charlone

Melhor Diretor
Vencedor: César Charlone / Artigas, La Redota

Melhor Filme
Vencedor: Artigas, la Redota

Júri da Crítica

Melhor Curta-metragem
Vencedor: Menino do Cinco / Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira

Melhor Longa Estrangeiro
Vencedor: Artigas, la Redota / César Charlone

Melhor Longa Brasileiro
Vencedor: O som ao redor / Kleber Mendonça Filho




Longa-metragem brasileiro

Melhor Desenho de Som
Vencedor: Kleber Mendonça Filho e Pablo Lamar / O Som ao Redor

Melhor Trilha Musical
Vencedor: André Abujamra / Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!

Melhor Direção de Arte
Vencedor: Zenor Ribas / Colegas

Melhor Montagem
Vencedor: Leyda Napoles / Jorge Mautner – o filho do holocausto

Melhor Fotografia
Vencedor: Gustavo Hadba / Jorge Mautner – o filho do holocausto

Melhor Roteiro
Vencedor: Pedro Bial / Jorge Mautner – O Filho do Holocausto

Melhor Atriz
Vencedor: Fernanda Vianna / O Que Se Move

Melhor Ator
Vencedor: Marat Descartes / Super Nada

Prêmio Especial do Júri
Vencedor: Breno Viola, Rita Pokk e Ariel Goldenberg / Colegas

Melhor Filme Júri Popular
Vencedor: O Som ao Redor

Melhor Diretor
Vencedor: Kleber Mendonça Filho / O Som ao Redor

Melhor Filme
Vencedor: Colegas / Marcelo Galvão






OBS: Sei que algumas pessoas não o valorizam nem o consideram como uma grande premiação, mas é um festival respeitado e temos que valorizá-lo muito! Principalmente por ser um dos poucos espaços em nosso país em que prestamos atenção em Curta-Metragem! E lembrando que através do festival, conseguimos alguns talentos...


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO
 








Como toda primeira quinzena de Agosto, chegamos a mais uma época de premiação e festival no Brasil. Organizado e realizado em Gramado, no Rio Grande do Sul, o Kikito chega mais um ano premiando à obras e trabalhos de qualidade de nosso país e da América Latina!

Desde o último dia 10 está sendo realizado o evento.

De 10 à 18 de Agosto teremos algumas apresentações, pequenas cerimônias e homenagens. E finalmente, no último dia, ocorre a tão esperada cerimônia de premiação e entrega dos kikitos.




Mas antes de falarmos sobre o evento, conheça um pouco sobre a estatueta...



O Kikito 




Símbolo e prêmio máximo concedido no Festival de Gramado, foi criado pela artesã Elisabeth Rosenfeld. Inicialmente, o Kikito, figura risonha, um “Deus do bom-humor”, com 33 centímetros de altura era o símbolo da cidade de Gramado, e apenas mais tarde tornou-se o troféu do festival. Muitas vezes referido erroneamente como “Kikito de Ouro”, o Kikito era confeccionado em madeira. A confusão se dá  por referência a prêmios de outros festivais, como a Palma de Ouro de Cannes ou o Leão de Ouro de Veneza. Atualmente, o prêmio é fabricado em bronze.






O Festival





Chegando ao seu 40º aniversário, o Festival de Cinema de gramado – o segundo mais antigo do Brasil – foi palco de momentos significativos para a história e afirmação da arte cinematográfica no país. Gramado passou a fazer parte do cenário do cinema nacional em janeiro de 1973, quando o Festival Brasileiro de Gramado foi oficializado pelo Instituto Nacional de Cinema. A primeira edição surgiu da união da Prefeitura Municipal de Gramado com a Companhia Jornalística Caldas Júnior, a Embrafilme, a Fundação Nacional de Arte e as secretarias de Turismo e Educação e Cultura do Estado.

O primeiro Festival do Cinema Brasileiro de Gramado aconteceu de 10 a 14 de janeiro de 1973. A disputa pelo Kikito, o “Deus da Alegria”, cuja estatueta foi criada por Elizabeth Rosenfeld, grande incentivadora do artesanato gramadense, passou a animar debates, criar polêmicas e transformar a criação cinematográfica nacional no único assunto de artistas, realizadores, estudiosos de cinema, imprensa e público em geral.

Na primeira edição, foram distribuídos apenas cinco Kikitos. O prêmio de melhor filme foi para “Toda Nudez Será Castigada”, de Arnaldo Jabor, enquanto Carlos Kroeber foi eleito o melhor ator por “A Casa Assassinada”, e Darlene Glória foi consagrada como melhor atriz por “Toda Nudez Será Castigada”. Os prêmios especiais ficaram com Antônio Carlos Jobim, pela música de “A Casa Assassinada”, e André Faria, pela fotografia de “Roleta Russa”. As primeiras edições do Festival, realizadas no verão, foram marcadas por sensacionalismo, nudez e a crise de estrelas que buscavam fama e reconhecimento na serra gaúcha.


No início dos anos 90, com a posse do governo de Fernando Collor, o Brasil presenciou um processo de quase extinção da cinematografia nacional. O Festival de Gramado, para sobreviver, tornou-se, então, internacional. Por isso a vigésima edição já foi de cinema ibero-americano. Realizado entre 15 e 22 de agosto de 1992, teve filmes da Venezuela, Peru, México, Portugal, Brasil, Argentina, Chile, Espanha, Cuba e Colômbia (vencedor do Kikito de melhor filme com “Técnicas de Duelo”, de Sergio Cabrera. Participaram igualmente da vigésima edição curtas-metragens brasileiros em 35 e 16mm. A repercussão foi ótima, coincidindo com a criação do Mercosul e a busca de uma aproximação mais eficiente do Brasil com os “hermanos” latinos.

A nova fórmula do Festival de Gramado, inédita no Brasil, foi aprovada dando novo significado ao evento, agora com sua data fixada sempre na primeira quinzena de agosto. O Festival começou no verão, mas Gramado tem o seu ápice turístico nos meses frios. Assim, o Festival tornou-se uma atração a mais no inverno do Rio Grande do Sul, o mais “europeu” dos estados brasileiros graças ao grande fluxo de imigrantes alemães e italianos que marcaram, desde o século passado, a cultura e os costumes da região.



Na edição de 2011, o grande vencedor da seleção nacional foi “Uma Longa Viagem”, de Lúcia Murat, que arrebatou prêmios do júri oficial e popular. Entre os latinos, a atenção ficou dividida entre o argentino “Medianeras – Buenos Aires na Era do Amor Virtual”, de Gustavo Taretto, e o mexicamo “A Tiro de Piedra”, de Sebastian Hiriart. Outros destaques foram os filmes de abertura e encerramento: “O Palhaço”, de Selton Mello, e “Sudoeste”, de Eduardo Nunes, respectivamente.






É uma das premiações mais tradicionais e conhecidas no Brasil. O festival é hoje um espaço indispensável para a divulgação, discussão, crítica e incentivo à criação cinematográfica nacional.




Acompanhe abaixo a lista de premiações do festival, lembrando que amanhã acontece a entrega do Kikito para as seguintes categorias.


Filmes Brasileiros

  • Melhor filme
  • Melhor Diretor
  • Melhor Ator
  • Melhor Atriz
  • Melhor Ator Coadjuvaste
  • Melhor Atriz Coadjuvastes
  • Melhor Roteiro
  • Melhor Edição
  • Melhor Fotografia
  • Melhor Canção Original
  • Melhor Diretor de Arte
  • Prêmio Especial do Júri
  • Prêmio do Júri Popular

 

Filmes Latinos

  • Melhor Filme
  • Melhor Diretor
  • Melhor Ator
  • Melhor Atriz
  • Premio Especial do Júri
  • Critics Award
  • Premio do júri popular

 

Premios Especiais

  • Troféu Oscarito
  • Troféu Eduardo Abelin
  • Comenda das Hortências


Ao final do festival voltarei com todos os principais vencedores do evento!



domingo, 5 de agosto de 2012

BATMAN - O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE







Mais um filme muitooo aguardado!!! E por experiências anteriores, sabemos que quando a expectativa é muito grande, costuma nos decepcionar... Sinto lhes informar que não tem nada a ver dessa vez!!! (Mais uma vez no ano, né Vingadores?!). Plagiando meu caro amigo do Manjaki, o filme foi Épico e Majestoso!!!



Só consegui assistir ao filme nesse sábado (04)... E depois de seu final fiquei me perguntando como demorei tanto pra ver... Vocês já devem ter tido essa sensação nesse ano mesmo, de assim que termina o filme lamentar pelo seu término e ter a vontade (quando não a realiza) de assistir novamente! E nem precisa comentar que ao longo de seus 160 minutos, a sensação que temos é que o tempo não passa, ele voa! Conseguiu ocupar com maestria cada minuto...


Christopher Nolan conseguiu fechar a trilogia com chave de ouro, sendo ambicioso e com um filme ousado. Se preocupou com cada detalhe... Ao lado de seu roteirista e irmão, Jonathan. Com diálogos perfeitos, trilha impecável, cenas de ação clássicas puxando um pouco para os quadrinhos... Não é apenas um filme de super-herói, conseguiu mostrar muito mais que isso! Em contrapartida, existiu mais a identificação para um filme de super-herói do que no segundo. E por que não dizer que foi uma das maiores trilogias de todos os tempos?? (Calma fãs de O Senhor dos Anéis e Godfather, não esqueci de vocês não...)



Tom Hardy vem interpretando o "vilão da vez", Bane. Com seus pontos altos e baixos, ficou aquém de ser o maior dos vilões.. mas também né, um Coringa daqueles não teria como ser batido. Só acontece uma vez (literalmente!). Hardy, após interpretações em filmes de peso como A Origem (2010) e O Espião Que Sabia Demais (2011), confesso que esperava mais dele. Mas devido a expectativa criada em cima de Hardy por interpretar o tão temido Bane... esperava uma atuação um pouco melhor, mais convincente.

Apesar de alguns clichês no filme, como o momento em que o super-herói é parcialmente derrotado, todos ficam desanimados e ele tem que se superar para voltar ao combate, não podemos negar que nos apresenta algumas originalidades que ficou marcado em sua trilogia, e claro, com algumas surpresas ao longo do filme (principalmente em seu final!).


Na Gotham sombria como de costume, o poderoso vilão, o mercenário Bane, domina toda a cidade com seus capangas, com um plano mirabolante de dominar a cidade e destruí-la! Por que? Bem, isso você descobre no decorrer do filme.








Christian Bale consegue mais uma vez nos encantar com muita maestria em sua atuação! Após interpretações excelentes nas duas continuações da trilogia e em O Vencedor (2011) principalmente! Já percebemos uma mudança de atitude de Bruce Wayne nesse filme em relação aos outros dois. Já não é mais aquele playboyzinho... Sua postura é diferente, suas atitudes,.. e que dessa vez ficaram à altura do homem no qual Gotham contava! 



Gary Oldman, como Comissário Gordon está de volta! E por enquanto ainda sendo o único que sabe quem foi o real herói que salvou Gotham do Coringa no filme anterior.



Antes de continuar com nosso Review, vale destacar um ponto importante. Me desculpem aqueles que gostam da mudança de voz que ocorre de Wayne para Batman. É ridícula! Pra que aquilo?? E aquela boquinha?? Desnecessário né?? Mas vamos continuar com o que interessa...

Outros pontos altos do filme... Hans Zimmer com sua trilha perfeita! E a excelente fotografia de Wally Pfister

Há quem diga que ele foi mais fraco que o anterior, será??? Seria pela atuação épica de Ledger?? Seria pelo promotor Harvey Dent?? Seria pelo par romântico de Wayne com Rachel?? Fato é que não concordo. Sinceramente, pra mim os dois foram excelentes! Com um toque a mais sempre extraordinário de Nolan.

Dois momentos para se destacar também são, o retorno de Batman após 8 anos, e a volta de Wayne para salvar a cidade de Bane e sua "bombinha" nuclear.



Marion Cotillard, interpretando Miranda Tate. Um membro do conselho executivo das empresas Wayne. Com uma participação incialmente simples, mostra-se como uma possível salvadora das empresas Wayne, e com um possível caso com Bruce. Mas que se torna papel fundamental e decisivo na trama.



Anne Hathaway convenceu!  Realmente para aquele que ao saber de sua participação nas filmagens já imaginou logo: "Ah, ela não vai chegar nem aos pés de Michelle Pfeifer..." Bem, não digo que superou, mas deu totalmente sua cara à nova mulher-gato. Com uma classe e uma beleza que só ela conseguiu... O que mais me chamou atenção foi a presença de uma mulher-gato não tão caricata como as anteriores... Naquela coisa de miar, ficar cercada por gatos... só faltava tomar leite todo dia!

O único destaque negativo que faço sobre a mulher-gato é sua aparição inicial... Não explica NADA sobre ela, sua origem, apenas o porquê de estar ali, mas enfim... talvez porque não seja muito esse intuito, OK então!


Sem esquecermos do nosso impecável mordomo Alfred (Michael Caine). E de nosso ilustre Morgan Freeman, como Lucius Fox.



Joseph Gordon-Levitt após vir ganhando espaço em Hollywood com alguns papéis não tão bobos e simples como em seu início de carreira, consegue interpretar com competência o policial (que posteriormente se torna detetive) Blake.


Destaque também para aparições de Liam Neeson, para lembrarmos de Ra´s Al Guhl e sua Liga das Sombras.




Vale ressaltar que todos esses pontos fortes e positivos só reforçaram mais ainda o grande elenco que compôs esse fim! Apesar de não ser totalmente fiel aos quadrinhos, podemos dizer que foi o melhor final para uma trilogia como essa!









Agora, mesmo Nolan e Bale já tendo declarado que não participarão de possíveis continuações... Seria o fim do Cavaleiro das Trevas defitivamente??? Outro super-herói viria para o substituir??? Qual diretor estaria à altura para ficar no lugar de Nolan??? Bem, quem viu o filme já deve ter algumas respostas... Ou pelo menos, algumas suposições...









sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Cinéfilos Ressurge


Após uma "parada" nos Cinéfilos, estou eu aqui de volta com minhas humildes opiniões e informaçoes... E claro, Agosto de 2012 não poderíamos falar em outro assunto que não fosse Jogos Olímpicos de Londres. Mas o que tem a ver olimpíadas com nosso "mundo"??? Tudo!!! Como tudo que conheço, o mundo cinematográfico arruma sempre um jeito de retratar e nos mostrar sua versão dos acontecimentos. E é graças aos filmes que muita gente tem o conhecimento de determinados fatos. Garanto que se não fosse por filmes, muitos não conheceriam afundo sobre o 11 de Setembro, o desastre do Titanic, o Holocausto, Mitologia e o atentado aos jogos olímpicos de Munique.


Então lá vamos nós começar oficialmente as Olimpíadas nos Cinéfilos...






MUNIQUE






Filme de Spielberg que retrata o ataque terrorista sofrido em Munique nos jogos olimpicos em 1972. Um dos maiores escândalos da história do esporte mundial.
Alguns pontos altos e baixos do filme. Claro que não podemos deixar de destacar sua ótima fotografia e sua bela edição. O elenco com Bana e Craig se mantiveram à altura do peso do filme. Em alguns momentos, o filme é meio parado, porém quando volta às suas cenas de ação não deixa a desejar.
Apesar de críticas por não ter tido um bom final, acho que conseguiu retratar bem a realidade dos fatos da época. Longe de ser uma das obras primas de Spielberg, mas podemos considerar um bom filme.


Munich, 2005
Elenco: Eric Bana, Daniel Craig, Ciarán Hinds, Mathieu Kassovitz
Gênero: Drama
Diretor: Steven Spielberg
Duração: 164 minutos

Sinopse: Em setembro de 1972, em meio às Olimpíadas de Munique, um ataque terrorista sem precedentes foi transmitido ao vivo para 900 milhões de pessoas. Um grupo palestino denominado Setembro Negro invadiu a Vila Olímpica, matou 2 integrantes da equipe olímpica israelense e manteve outros 9 como reféns. 21 horas depois o ataque chegou ao fim, com todos sendo mortos. Pouco depois Avner (Eric Bana), um jovem israelense revoltado com o ocorrido, recebe de um oficial do Mossad uma ordem sem precedentes: abandonar sua esposa grávida e sua identidade para caçar e matar os 11 homens apontados pela inteligência de Israel como tendo planejado o atentado. Avner aceita a ordem e passa a liderar uma equipe de apenas 4 integrantes, extremamente talentosos. Eles passam então a viajar pelo mundo em total sigilo, na pista de cada um dos nomes de uma lista muito bem guardada. 




Falamos de um filme clássico sobre os Jogos Olímpicos, mas como falar de filmes e olimpíadas e não lembrar de Carruagens de Fogo??? Filme bom? Talvez não, mas e sua trilha??? Eterna, marcante, histórica,... não tinha como ficar de fora!








CARRUAGENS DE FOGO





Quem nunca ouviu a famosa música de Vangelis e não se lembra logo de uma corrida em "câmera lenta", de uma chegada em uma maratona e, claro, das olimpíadas... Até tema de alguns programas ela já se tornou. E para quem não sabe, essa música foi trilha do filme Carruagens de Fogo (1981). 

Quem assistiu à abertura dos Jogos Olimpicos de Londres viu mais uma vez essa trilha figurar entre os destaques. E dessa vez o famoso Mr. Bean (Rowan Atkinson) a interpretou como só ele sabe.

Quem não viu o filme e só conhece a música não está perdendo muita coisa. Típico filme em que se lembra apenas da trilha, pois o filme... uma pena não ter sido à altura de sua clássica e eterna trilha. E ainda levou Oscar de melhor filme, coisas que não conseguimos entender...


Chariots of Fire, 1981
Elenco: Ben Cross, Ian Charleson, Nicholas Farrell
Gênero: Drama 
Direção: Hugh Hudson
Duração: 124 minutos


Sinopse: As Olimpíadas de 1924, a serem realizadas em Paris, se aproximam. Eric Liddell (Ian Charleson) e Harold Abrahams (Ben Cross) pretendem disputá-la, mas seguem caminhos bem diferentes. Liddell é um missionário escocês que corre em devoção a Deus. Já Abrahams é filho de um judeu que enriqueceu recentemente e deseja provar sua capacidade para a sociedade de Cambridge. Liddell corre usando seu talento natural, enquanto que Abrahams resolve contratar um treinador pessoal. Ambos seguem as eliminatórias sem problemas, até que uma das classificatórias de Liddell é marcada para domingo. Ele se recusa a competir, por ser este um dia santo. Percebendo a situação, um nobre oferece a Liddell sua vaga na disputa dos 400 metros. Ele aceita e vence a corrida, assim como Abrahams. A partir de então, os dois integram a equipe do Reino Unido para as Olimpíadas.




Como o Brasil está fraco nessas olimpíadas não vejo mais porque continuar com posts sobre esses fracos jogos...rsrs... Por isso, combino com vocês, nosso próximo post sobre olimpíadas será em 2016... Nos vemos no RIO!!!














quarta-feira, 18 de julho de 2012

A Volta do Aranha, o Espetacular





Nem Tobey Maguire nem Kirsten Dunst. Andrew Garfield e Emma Stone superaram o casal anterior, agora sim temos uma dupla no nível da aventura do herói aracnídeo. Andrew Garfield após a interpretação do brasileiro Eduardo Saverin no sucesso de A Rede Social, volta mostrando sua versatilidade e competência.  Dirigido por Marc Webb, uma aventura que deve ser confirmada como a nova trilogia do mercado. Um 3D que deu certo, a produção que foi impecável e a fotografia que agradou! E o que mais um fã de HQ espera, bastante fiel à sua história original dos quadrinhos... Finalmente o Aranha tem "objetos" para prender sua teia, pois foi uma das perguntas que me fazia na versão anterior: "Mas afinal de contas, onde essa teia tá presa, no céu???" Percebemos bem isso nesse filme! E cenas simples porém que empolgam, como a última contracenada por Gwen e Peter. E a sempre marcante cena da morte de Tio Ben.

Provavelmente a Marvel ficou orgulhosa de seu trabalho.


Parker ao tentar descobrir a história secreta de seu pai, acaba criando sua própria história, ao ser picado por uma aranha geneticamente modificada pelas empresas Oscorp.





Rhys Ifans interpreta o Dr. Curt Connors. Uma das principais mentes científicas da Oscorp, ex-parceiro do pai de Parker. Ele tenta formular um revolucionário soro regenerativo que restaure membros e tecido humano. Ao servir de cobaia como tentativa de restaurar seu braço direito, algo dá errado e ele é transformado no monstro conhecido como Lagarto.








Curiosidades


- Arrecadação de um total de US$ 521.400.000 dólares nas duas primeiras semanas

- O nome do próximo filme da série deve ser 'Web of Spider-Man' (A Teia do Homem-Aranha)

- Inicialmente previsto um orçamento de US$80 milhões, acabou custando US$220 milhões

- O diretor Sam Raimi queria liberdade criativa total no projeto. Após uma longa briga com a Sony e adiamento da produção, a empresa decidiu reiniciar a franquia sem Raimi.








Elenco:  Andrew Garfield, Emma Stone, Martin Sheen, Rhys Ifans, Sally Field, Denis Leary, Chris Zylka, C. Thomas Howell, Campbell Scott, Julianne Nicholson, Annie Parisse, Irrfan Khan, Stan Lee, Amber Stevens.
Direção: Marc Webber
Duração: 90 minutos 

Sinopse: É a história de Peter Parker (Garfield), um estudante rejeitado por seus colegas e que foi abandonado por seus pais ainda criança, sendo então criado por seu Tio Ben (Sheen) e pela Tia May (Field). Como muitos adolescentes, Peter tenta descobrir quem ele é e como ele se tornou a pessoa que é hoje. Peter também está começando uma história com sua primeira paixão, Gwen Stacy (Stone), e juntos eles lidam com amor, compromissos e segredos. Quando Peter descobre uma misteriosa maleta que pertenceu a seu pai, ele começa uma jornada para entender o desaparecimento de seus pais – o que o leva diretamente à Oscorp e ao laboratório do Dr. Curt Connors (Ifans), antigo sócio de seu pai. Procurando por respostas e uma conexão, Peter comete um erro que o coloca em rota de colisão com o alter-ego do Dr. Connors, O Lagarto. Como Homem-Aranha, Peter tem que tomar decisões que podem alterar vidas, para usar seus poderes e moldar seu destino de se tornar um herói.